Gatos. Eles não poderiam ser diferentes, não é mesmo? São seres misteriosos e super independentes, muitas vezes são tão, tão independentes que não precisam nem da companhia de outros animais para serem felizes. Aliás, na natureza os felinos já possuem o hábito de viverem sozinhos mesmo. E até aí tudo bem, né, porque a selva é lá e nós estamos bem longe dela.

Mas e quando este comportamento que está no sangue do animal começa a te trazer problemas? Imagine a seguinte situação: você tem um gatinho já há muito tempo que é o “rei do pedaço” e você acaba de encontrar um pequenininho sem lar e resolve trazê-lo para casa, como um ato de compaixão e amor. Imagine a cara do seu gato quando perceber que tem um “intruso” no território DELE. Parece uma situação de tensão? E realmente é. Mas nós estamos aqui para ajudar e facilitar a sua vida.

Claro que isso não acontece com todos os bichanos, mas alguns são realmente péssimos anfitriões e querem logo pôr o gatinho pra correr (pobrezinho). Se identificou? Então vamos ao que interessa, anota estas dicas valiosas:

1- Apresentando os gatinhos

Não dá para simplesmente chegar e dizer: “Olá, nós temos visita”. O ideal é apresentar um ao outro devagar e monitorar este 1º contato (porque pode dar briga), mas faça isso aos poucos, em doses homeopáticas. Deixe que se cheirem e veja o grau de empatia gerado. Foi tudo bem? Então você já pode parar na segunda dica.

2- O que é meu é meu. O que é seu é seu.

Queridos tutores, nada de querer ter uma caminha comunitária, um refeitório só para os dois e o que falar de um banheiro só (isso não pode de jeito nenhum). Separe os utensílios de cada um, pois se o conterrâneo já não gosta da ideia de ter alguém para compartilhar a casa, imagine se ele vai gostar de compartilhas suas coisinhas. De jeito nenhum.

3- Trate todo mundo igual.

Se você oferecer atenção apenas ao novato, é claro que o seu gato vai perceber e vai achar que você o está traindo. Dê atenção para os dois e tente incluí-los sempre na mesma brincadeira.

4- Use e abuse de ferormônios, se necessário.

Oi? Não entendeu o que eu disse? Eu explico. Alguns tipos de cheiros característicos podem acalmar os pets, são os chamados ferormônios. Hoje eles são produzidos artificialmente e vendidos (pet shop) em sprays ou em forma de difusores de tomada. Estes odores são naturais da espécie e podem trazer calma, tranquilidade e são muito usados nestas situações. Os animais que antes viviam em pé (ops, patinha) de guerra, agora podem conviver calmamente. Faz o teste e me conta. 

5- Bom garoto

E aí, eles tiveram bom comportamento? Não estão mais brigando quando chegam perto? Então que tal retribuir o bom comportamento? Ofereça petiscos aos dois e acaricie sempre que se comportarem bem ao chegarem perto. Cuidado apenas para não exagerar e deixar um dos dois fora do peso ideal, hein. 

6- Paciência, paciência, paciência

Não adianta querer que de um dia para o outro, os dois se tornem amigos de longa data. Isso vai acontecer mais cedo ou mais tarde. Você precisa entender que gatos são territorialistas e até aprenderem a dividir o seu espaço com um possível “rival” pode demorar um pouco além do esperado. Tenha calma. 

7- Peça ajuda de um especialista

Se nada disso funcionar, você precisará de conselhos profissionais: consulte o veterinário para verificar se a agressão não tem a ver com alguma doença que deixa o animal com dor, irritado e sem muita receptividade. Depois verifique com um especialista em comportamento animal, outras alternativas para contornar o problema.

Espero que tenham aproveitado as dicas e até a próxima semana.

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

650 Visualizações

Veja também:

RDJ_9203
Porque castrar meu cachorro?
Meu-cachorro-está-com-o-rosto-inchado_site
Meu cachorro está com o rosto inchado
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest