Vamos entender o que ocorre?

“De onde surge este barulho? Será uma explosão?” – Se você também não soubesse o que é um rojão, estas perguntas passariam por sua cabeça, não é mesmo? Agora imagine você, um cãozinho que já é mais medroso por natureza. Ele não sabe o que é, de onde vem e o que vai acontecer, e olha só o quanto isto pode ser ainda mais assustador: eles têm uma audição muito mais aguçada que a nossa. Percebe o tamanho do problema?

É cãozinho correndo pra lá, pra cá, entrando debaixo da cama e não saindo de lá tão cedo, não é mesmo? Mas o pior ainda pode ocorrer. Muitos animais, tamanho o desespero, acabam se machucando gravemente na tentativa de fugir para um lugar mais seguro. Tem animais que quebram portas de vidro, que se machucam nas grades do portão ou se enforcam nas coleiras. É preciso ficar atento.

Infelizmente, mesmo sabendo do grande problema que os fogos de artifício podem causar ainda tem gente que não se importa. Quem acaba sofrendo com tudo isso? Nós, tutores cuidadosos de animais de estimação. E então você pode se perguntar: o que fazer para diminuir os danos e poder curtir o seu final de ano com mais tranquilidade e menor preocupação? Calma, a gente te ajuda.

Lembre-se que são apenas algumas dicas que podem funcionar ou não, tudo irá depender do seu cãozinho e também de sua paciência. Você pode tentar dessensibilizá-lo com o barulho. Como? A gente explica. Semanas antes das comemorações, você pode, aos poucos, colocar sons de rojão no rádio ou computador. Cada vez, você aumenta um pouquinho o volume e enquanto isso, vá distraindo o animal, com brincadeiras, ossinhos e carinho. Ele estando distraído fica mais fácil de se acostumar. Mas se isso não funcionar, a última alternativa é colocar “tufinhos” de algodão em seus ouvidos no momento dos barulhos. Assim “abafa” um pouco o som alto.

Outro aspecto importante, independente, se o animal está ou não acostumado com os fogos é colocá-lo num local seguro, sem objetos que possam quebrar ou fazê-lo se machucar. Este ambiente também deve ser calmo e tranquilo, sem movimentação de pessoas. No mais, ofereça muito carinho e passe tranquilidade ao animal. Faça-o perceber que está tudo bem, que não há motivos para pânico.

Estas técnicas mostradas acima são técnicas simples, que qualquer um pode fazer em casa. Agora, uma alternativa com tranquilizantes também pode ser utilizada, só que esta depende da indicação do Médico Veterinário, obviamente.

Não espere chegar muito próximo a data para pensar no que vai fazer. Se possível, prepare seu animal um bom tempo antes. Se preciso, você pode contar com a ajuda também de um adestrador. Assim, as comemorações de fim de ano podem deixar de ser motivo de preocupação para você…e a única preocupação que você vai ter é do que servir na ceia de fim de ano para seus convidados. Aliás, este será o tema de nossa próxima semana: Você sabe o que pode ou não oferecer do cardápio de fim de ano para o seu cãozinho? O que faz mal e o que pode? Leia a matéria da semana passada.

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

228 Visualizações

Veja também:

Perigos-Natal_imgdestacada
Os perigos do Natal
meta2015
Meta 2015: emagrecimento também para os Pet’s
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest