A Imunodeficiência felina pode ser a responsável por diminuir drasticamente a resposta imunológica do animal.

A AIDS é muito conhecida e divulgada em se tratando dos humanos, mas você sabia que os gatos também sofrem com ela?

Descoberto alguns anos após o dos humanos, o vírus que ataca os felinos invade as células de defesa do organismo fazendo com que o animal fique mais vulnerável a outras infecções, assim como ocorre nos humanos. A via de transmissão é, predominantemente, através da saliva, por mordidas e arranhões e apenas entre gatos. Os animais mais afetados, geralmente, são machos, não castrados e que vivem na rua ou sob condições de estresse e é durante as brigas que a transmissão acaba ocorrendo.

O gato, geralmente é descoberto como soropositivo quando apresenta-se com infecções persistentes ou frequentes, justamente por causa do comprometimento do sistema imune. Alguns gatos podem ter sinais como febre, apatia, anorexia, linfonodos aumentados, dentre outros sinais. Existem casos, porém, de animais que não apresentam sintomas e podem ser descobertos em um exame de rotina.

A AIDS felina foi descoberta há pouco tempo, portanto, ainda não há vacinas para esta doença. Neste caso, o melhor a se fazer é a prevenção, evitando o contato do seu gato com outros animais de rua que possam ser soropositivos. Após o diagnóstico da doença é importante saber que não há cura, mas independente disto, os animais não devem ser discriminados ou abandonados, pois há tratamentos que podem auxiliar numa boa qualidade de vida, assim como boa alimentação e ausência de fatores debilitantes e estressantes para o animal.

Se houver qualquer suspeita, é importante levar o animal para uma consulta para que o diagnóstico correto seja realizado e para que se possa oferecer qualidade de vida para o gatinho.

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

412 Visualizações

Veja também:

cao_viagem
Vai viajar? Dicas para o cão/gato
latindo
Cão que ladra não morde, será?
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest