No mês de março comemoramos o Dia da Mulher, e já sabemos que os animais não são melhores amigos apenas do homem, mas da mulher também. E por serem grandes companheiros nossos, acabamos transferindo certos “cuidados” que temos com nossa saúde para nossas cadelinhas e gatas, tal como fazemos conosco.

Por isso, resolvi trazer à tona, um assunto polêmico: o uso de injeções anticoncepcionais em cadelas e gatas, com o intuito de prevenir o cio e a prenhez. Mas será que este tipo de atitude é a melhor solução ou será que traz ainda mais problemas? Isso é o que vamos descobrir agora.

O controle de natalidade nos animais é um assunto muito preocupante sempre, pois ninguém quer ver filhotes soltos pelas ruas com fome, frio, sede e procriando cada vez mais. Pensando nisso, muitos proprietários acreditam numa solução prática, barata e simples: o uso de anticoncepcionais. O grande problema é que os estudos mostram que a longo prazo, esta medida pode levar a sérias consequências para saúde animal.

Quando se faz a aplicação destes hormônios na fêmea, você acaba predispondo e aumentando as chances do animal vir a ter piometra (infecção uterina emergencial), tumores de mama, aumento dos ossos, diabetes mellitus e outros problemas. A chance chega a subir para 80%, ou seja, a aplicação de anticoncepcional pode prevenir a gravidez numa primeira instância e mesmo que você opte por não castrar sua cadelinha ou gata, se ela desenvolver piometra, terá que ser levada imediatamente ao veterinário para uma operação de emergência, onde a castração será inevitável. E a fêmea, dependendo da gravidade, pode ainda não sobreviver. Ou seja, a castração acabaria ocorrendo mais cedo ou mais tarde.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, castrar é sim a melhor opção. Pois é uma solução segura, simples e definitiva, que evita vários problemas futuros, como os já citado acima (piometra, tumor de mama).

Se sua intenção é que sua cadelinha ou gata não tenha filhotes e sequer entre no cio, a melhor saída é castrá-la, antes mesmo do primeiro cio, por volta dos 6 meses a um ano de vida. Nesta fase, a chance de ela ter um câncer de mama futuramente, cai para menos de 1%. Pelo contrário, se a castração não for feita, a chance só aumenta.

A aplicação de anticoncepcionais, além dos problemas todos que já falamos, se for feita na fase errada, ainda pode causar aborto, com infecções de útero, e má-formações do feto.

Como você mesmo pode concluir, os problemas são bem maiores que os benefícios. Se você perceber a importância da castração, e entender os perigos do anticoncepcional, procure um Veterinário de sua confiança que poderá escolher o melhor momento para operar a sua fêmea.

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

253 Visualizações

Veja também:

Alergia-ao-pelo-do-gato---o-que-fazer_site
Alergia ao pelo do gato – o que fazer?
gato-pingado-site
Gato Pingado – de onde vem a expressão?
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest