Um cão de colo aprisionado num corpo enorme.

O Bullmastiff é uma raça relativamente recente tendo sido criada a partir do cruzamento do Mastim Inglês com o Bulldog Inglês. Os britânicos tinham um sério problema de pesca ilegal no século XIX. Necessitavam por isso do cão de guarda perfeito: com velocidade para perseguir os pescadores e com força para derrubá-los e manter no chão até a chegada dos guardas. Entre as raças mais comuns na Inglaterra estava o Mastim Inglês, forte, mais lento e o Bulldog, rápido, mais pouco possante. Para auxiliar os guardas na tarefa de vigiar foi criado o Bullmastiff. Esta raça foi criada, não para atacar, mas para subjugar o pescador, e rezam os registros de que o Bullmastiff nunca perdeu.

No Brasil, a criação de Bullmastiff é bastante recente. Há registros de cães da raça – esterilizados – em 1940, mas foi a partir da década de 80 que tem impulso a criação organizada e oficial de Bullmastiffes no Brasil.

A principal característica do Bullmastiff é seu temperamento equilibrado e dócil. Alguns registros descrevem até o Bullmastiff como um cão de colo aprisionado num corpo enorme, mas isso não desmerece sua aptidão natural para a função para a qual foi desenvolvido, ou seja, para ser um guarda noturno eficiente e silencioso, que não costuma latir à toa e na função de guarda o silêncio de sua aproximação é sua principal arma para conter um invasor.

Apesar de ser um cão grande, que chega a pesar 60 quilos na idade adulta, não é um cão que esteja em atividade constante e que possa ser deixado apenas no quintal. Normalmente passeios e caminhadas de 1 hora ate duas vezes por dia são suficientes para que ele mantenha-se em forma.

O Bullmastiff é propenso à displasia da anca. Por isso deve evitar exercitar demasiado o cachorro até atingirem os dois anos de idade. Tumores e problemas oculares são outras preocupações nesta raça. O pêlo do Bullmastiff é fácil de manter. Escovagens semanais mantém a pelagem limpa e diminuem a necessidade de dar banho, que é prejudicial à camada oleosa que protege a pele. É um cão que tem tendência para engordar, necessitando por isso de exercício regular e dieta controlada.

Dra. Henriette Brito Jordão
CRMV-RJ-8489
Clínica auQmia – Nova Friburgo – RJ

Veja também:

Gatinhos
Peritonite infecciosa felina (P.I.F)
Adestramento
Adestramento
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest