Saiba como administra-la corretamente para o bem-estar do bichano… e para o seu também!

Uma pesquisa americana concluiu que o principal motivo que leva as pessoas a abandonar gatos é fazerem as necessidades fora da caixa higiênica. Mas, mesmo que o seu gato use corretamente a caixa de areia, lembre-se que, em qualquer fase da vida, ele poderá passar a urinar e a defecar em locais inapropriados. Não deixe de seguir, portanto, as dicas deste artigo. Inclusive porque, se o gato não estiver completamente satisfeito com a infra-estrutura que lhe é oferecida para urinar e defecar, poderá aliviar-se menos que o ideal e sofrer constipação intestinal (prisão de ventre) ou obstrução da uretra, entre outros males.

Nunca menos de duas
A regra é oferecer no mínimo uma caixa a mais que o número de gatos – duas caixas higiênicas se você tiver um gato; quatro, se tiver três gatos, e assim por diante. Avaliando a freqüência de uso das caixas, conclui-se qual é a preferida de cada gato.

Reavaliar as menos usadas
Procure entender o que leva o gato a preferir determinada caixa. A melhor maneira de fazer isso é por experimentação. Mantenha inalterada a caixa preferida e modifique as demais, para competirem com ela. Influem na preferência fatores como tipo de areia e altura, modelo e local da caixa. Com o passar do tempo, é possível descobrir, por exemplo, que seu gato gosta de areia fina numa caixa com teto e posicionada no alto.

Limpeza e registro diários
Gatos gostam de utilizar caixa limpa. Alguns chegam a segurar as necessidades até que alguém limpe a caixa. Como essa retenção não é saudável, procure limpar as caixas diariamente. Anote a quantidade de fezes e de urina encontrada em cada caixa e qual era o aspecto delas. Isso pode ajudar bastante a perceber quais caixas são mais utilizadas e como anda a saúde dos gatos. Facilite os registros – deixe papel e caneta próximos de onde é feita a limpeza das caixas.

Posicionamento
Evite colocar caixas higiênicas perto de lugares onde o gato bebe água ou come. A proximidade pode levar o felino a evitar tanto as caixas quanto a água, o que não é bom, já que eles costumam ingerir menos líquido do que devem. Além disso, o menor uso da caixa aumenta as chances de constipação intestinal. Explore o ambiente tridimensionalmente. Isto é, não se restrinja a colocar as caixas no chão. Alguns gatos preferem locais altos, principalmente quando há cães que possam incomodá-los num momento tão delicado, no qual concentração e relaxamento são importantes. Há gatos que se sentem intimidados por outros na hora de se aliviarem ou de terem acesso à caixa higiênica. Por causa disso, distribua as caixas de maneira que um gato não possa enxergá-las todas ao mesmo tempo e de forma que seja possível chegar até elas por diferentes acessos. Não é ideal, por exemplo, deixar todas as caixas na área de serviço se o único acesso for pela porta da cozinha e se um dos gatos costuma deitar-se naquele local.

Sem balançar, muito menos cair
É importante que a caixa esteja firme, principalmente se for posta sobre um armário, por exemplo. Caso durante o uso ela se mova, o susto fará alguns gatos evitarem utilizá-la. Também há gatos que, ao pisar na beirada da caixa para entrar ou sair dela, se incomodam ao perceber que está bamba.

Tipo e quantidade de areia
Gatos têm preferência por tipos de areia. Diversas marcas oferecem facilidades como de limpeza e de controle do odor, mas deixe o seu gato opinar também! Uma boa maneira de saber a preferência dele é colocar duas caixas iguais, uma ao lado da outra, com tipos de areia diferentes e observar qual delas é mais utilizada. Muitos proprietários colocam menos substrato na caixa do que é ideal para economizá-lo e evitar que ele seja jogado para fora. Recomendo pôr uma camada de uns 8 cm para o felino poder cavar um bom buraco e para o peso do substrato ajudar a “fixar” a caixa. É possível evitar que muita areia caia da caixa usando um modelo que tenha a borda virada para dentro.

Nada de cheiro forte
De tempos em tempos, a caixa de areia pode ser lavada. Mas cuidado com o produto usado na limpeza – o odor pode repelir o gato. Por isso, evite produto com cheiro forte e, ao lavar a caixa, enxágüe-a bem.

Fonte: Revista Cães & Cia, n. 346

Veja também:

gato7
Demarcação de território com urina
gatinho1
Gatos: como conseguem voltar para casa depois de sumir?
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest