A catarata hereditária atinge principalmente os cães das raças...

A catarata nos cães, assim como a catarata humana consiste em uma opacidade do cristalino, o que impede que a luz penetre até a retina. A catarata pode aparecer em todos os cães, mas, apenas em alguns casos ela é hereditária. A catarata hereditária também pode ser mais comum em algumas raças específicas e é preciso tomar cuidado na hora de escolher o filhote para se prevenir contra este mal.

As possíveis causas da catarata não hereditária são inflamações intra oculares, doenças na retina, traumatismos, diabetes ou até mesmo a idade avançada do cão. Esta forma de catarata pode acontecer com qualquer cachorro, de qualquer raça, mesmo que não haja casos anteriores na família.

A catarata hereditária atinge principalmente os cães das raças Afghan Hound, Beagle, Cavalier King Charles Spaniel, Huski Siberiano, Golden Retriever, Poodle Toy e Miniatura, Schnauzer Miniatura, Setter Irlandês Vermelho, Setter Irlandês Vermelho e Branco e Cocker Spaniel Inglês e Cocker Spaniel Americano. Em algumas raças a catarata pode aparecer juntamente com a atrofia progressiva da retina, como por exemplo, os cockers. Os sintomas aos quais o dono deve estar alerta são a brancura do cristalino e os sinais de diminuição da visão do animal (desorientação, esbarrar em paredes, etc.…).

O tratamento da catarata é cirúrgico. Segundo o Colégio Americano de Oftalmologia Veterinária (ACVO), não existem substâncias disponíveis capazes de tratar cataratas com algum efeito. Muitos colegas utilizam uma gama variada de drogas (Bendalina, Clavirsol, Cinerária Marítima, etc…), desprovidos todos de ação terapêutica razoável. A cirurgia retira o cristalino.

Utilizamos a técnica mais moderna disponível a nível mundial que é a técnica de facoemulsificação Com o auxílio de microscópio cirúrgico, sob anestesia geral volátil, um aparelho sofisticado é inserido no interior do olho pôr uma incisão de apenas 3 mm e emite vibrações ultra-sônicas que destroem o cristalino, pulverizando-o e tornando possível sua aspiração pelo mesmo instrumento. O animal afácico (sem cristalino) enxerga bem de longe e pouquíssimo de perto, mas recupera sua visão funcional e se livra das trevas em que suas cataratas o colocaram.

A cirurgia de catarata é um procedimento cirúrgico, que melhora a visão de 90 a 95% do casos. Mas há riscos também. Em 5 a 10% dos casos os animais não reagem bem devido a complicações e podem permanecer cegos em um ou ambos os olhos. Entre as principais complicações, o glaucoma, que é o aumento da pressão ocular ocorre em 30% dos casos e em algumas raças como o Coocker Spaniel esta porcentagem pode ser ainda maior. O descolamento de retina também ocorre, mas com uma freqüência menor, e resulta na perda completa da visão. Outras complicações são edema de córnea, opacificação da cápsula posterior ocasionado pelo excesso de cicatrização no interior do olho limitando a visão. E ainda a infecção intraocular (panoftalmite), que embora rara de ocorrer nos cães, pode ter como conseqüência a perda da visão e até do globo ocular.

Dra. Henriette Brito Jordão
CRMV-RJ-8489
Clínica auQmia – Nova Friburgo – RJ

Veja também:

Como alimentar meu gato?
Como alimentar meu gato?
filhotes_cao
Apresentando o mundo ao filhote
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest