Descubra o tratamento dessa doença.

A Doença

Clamidiose Felina (Pneumonite Felina) é uma doença respiratória, de manifestação crônica.

Incidência e prevalência

A Clamidiose ocorre em todo o mundo e afeta cerca de 5% a 10% da população. Foi isolado o agente causal em gatos pela primeira vez em 1942. É especialmente comum em filhotes ( a 6 meses de idade) e em locais com alta densidade de gatos (casa, criatórios e lojas). Surtos ocorrem com frequência em locais onde a higiene é precária e pouco ventilado. Além disso esses surtos podem ocorrer em situações de stress, como a introdução de um novo animal na casa, cio, falta de comida ou até mesmo competição.

Etiologia

A pneumonite felina é causada por Chlamydophila felis (Chlamydia psittaci), um microrganismo intracelular. Este se reproduz nas células do trato respiratório causando irritação e sintomas brandos. Multiplica-se também na mucosa gástrica e também no trato reprodutivo, mas não há sintomas relatados.

Transmissão

O agente causal pode se disseminar através das secreções dos animais acometidos. São comuns as seguintes vias de transmissão: contato com objetos contaminados, como gaiolas, comida, água, panos, escovas e pentes. Contato direto com boca, focinho ou descarga ocular de gatos contaminados. Gotículas em suspensão causada por espirros e tosse. Gatos portadores, apesar de não apresentarem sintomas, podem disseminar o agente (principalmente após eventos de stress). Apesar de incomum é possível à transmissão a humanos (zoonose), causando nestes a conjuntivite.

Sinais clínicos

A Clamidiose é sintomática apenas para o trato respiratório e olhos. O período de incubação médio é de 10 dias. O animal pode ser assintomático, e isto pode dificultar o trabalho do Médico Veterinário se não houver suspeita e comprovação laboratorial. Quando presentes, os sinais clínicos mais comuns são: anorexia (falta de apetite), tosse, dificuldade respiratória, febre (mais frequente com a progressão da doença), pneumonia (em filhotes pode ser fatal), rinite, espirros e lacrimejamento que ocorre devido a conjuntivite (uni ou bilateral). Conjuntivite leva a descarga ocular, inchaço e dor. Apesar da C. psittaci colonizar o trato reprodutivo, não há evidências científicas demonstrando problemas reprodutivos, mas filhotes podem se contaminar no momento do parto e apresentar como sinal clínico uma conjuntivite severa.

Diagnóstico laboratorial

– Sorologia – Clamidiose Felina por ELISA.

– Hemograma.

– Devido à dificuldade da coleta e raridade da amostra, geralmente se recomenda check up (ex. perfil renal) geral do animal.

Tratamento

Geralmente o tratamento é simples e eficaz, tendo como base a antibioticoterapia (por exemplo: tetraciclina, quinolonas). Em casos mais graves, um período prolongado pode ser necessário (até 6 semanas). Uso de antibióticos tópicos (colírios) e limpeza de focinho e olhos. No caso de vários gatos no mesmo local, é recomendável o tratamento de TODOS (portadores) e separação dos sintomáticos. Reforçar a limpeza do ambiente e objetos, e ainda minimizar o stress. Medicação de suporte em casos necessários.

Prevenção

Existem vacinas disponíveis, geralmente vacinas vivas (cepas atenuadas) e associadas a outros agentes de doenças de felinos (quádruplas ou quíntuplas). Gatos que vivem em grupos ou que tem acesso à rua devem ser vacinados. A vacinação não previne a infecção, mas sim a severidade e ocorrência de sinais severos.

Prognóstico

Bom, a doença se devidamente diagnosticada e tratada através da antibioticoterapia, apresenta bons resultados.

Dra. Henriette Brito Jordão
CRMV-RJ-8489
Clínica auQmia – Nova Friburgo – RJ

5103 Visualizações
( 1 )

Veja também:

tumor_animais
Tumor em cães e gatos, o que fazer?
komondor
Komondor
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest