Existem alguns sinais que nos ajudam a identificar que o parto está se aproximando. Você sabe como identificá-los e como agir?

Um dos momentos mais esperados pelos proprietários de cadelas e gatas gestantes é o parto e existem alguns sinais que nos ajudam a identificar que ele está se aproximando. Você sabe como identificá-los e como agir?

É normal quando esta ocasião se aproxima que as fêmeas percam o apetite e fiquem mais inquietas e ofegantes. Outro sinal que pode ser observado pelos proprietários é a fêmea que constantemente lambe e olha para a vulva. Já na última semana que precede o parto, o abdome fica bastante distendido e ocorre a secreção de corrimento pela vagina e de colostro pelas mamas. O colostro é a primeira secreção que é produzida pelas mães e nós falaremos dele mais adiante.

O parto é dividido em 3 fases principais. A primeira delas é a dilatação da cérvix, onde a cadela ou a gata apresentam-se inquietas, procurando o ninho, ficam se deitando e levantando constantemente, demonstrando claramente o seu desconforto. Esta primeira fase pode durar de 6 até 24 horas.

A segunda fase é quando ocorrem as contrações que darão início à expulsão dos fetos. Neste momento é importante deixar a fêmea segura no local que escolheu e manter certa distância, sempre a observando. A saída do primeiro feto deve ocorrer num período de até 2 horas em cadelas e 1 hora em gatas. O tempo de nascimento entre um filhote e outro pode variar entre 30 minutos até 1 hora. Em cães e gatos é considerado NORMAL que o feto se insinue com a cabeça ou com a parte posterior de seu corpo durante sua saída.

Quando os fetos são expulsos, por instinto, a fêmea costuma romper a membrana que os envolve, porém, se ela não o fizer imediatamente, o proprietário deverá fazê-lo com cuidado, sempre mantendo a higiene do local. Após romper esta membrana, o proprietário deverá colocar o filhote sobre um pano limpo em suas mãos e deitá-lo ligeiramente com a cabeça mais inclinada para baixo, para que toda secreção das vias aéreas seja eliminada e deverá limpar as secreções do nariz e boca para que ele consiga respirar normalmente.

É importante que o proprietário, caso seja necessário intervir, utilize luvas estéreis ao tocar nos animais, evitando assim deixar o seu cheiro sobre os filhotes para facilitar o reconhecimento materno. Após este procedimento, podemos colocar o filhote junto à fêmea para que ela consiga lamber, romper o cordão umbilical e estimulá-lo a respirar. É de extrema importância que o colostro seja ingerido nas primeiras horas de vida, por isso, podemos e devemos auxiliar os filhotes a encontrar os tetos da mãe.

A terceira fase do parto é a fase de expulsão da placenta, que ocorre após a saída de cada feto. O fim do parto acontece quando a fêmea já se apresenta sem contrações, com o abdome em suas dimensões normais. É comum que a fêmea apresente corrimento dias após o parto que são os restos de placenta e anexos embrionários.

        Veja agora algumas situações em que o Médico Veterinário deverá ser chamado imediatamente:

  • Período de gestação prolongado sem sinais do momento do parto;
  • Contrações prolongadas e grande esforço sem a insinuação do feto;
  • Intervalo maior que 2 horas entre a expulsão de um feto e outro;
  • Remoção de fetos mortos;
  • Feto que esteja preso no canal do parto ou com o posicionamento anormal;
  • Secreção de coloração verde em cadelas ou vermelha/marrom em gatas sem a presença do feto;
  • Fêmea com sinais de angústia ou hemorragia;
  • No pós-parto, a presença de um cheiro forte e corrimento esverdeado que podem ser característicos de uma infecção.

Ao perceber qualquer destes sinais ou se você estiver em dúvida se o nascimento dos filhotes já chegou ao fim, procure o Veterinário imediatamente. Ele é o profissional indicado que lhe dará todas as instruções necessárias e em caso de distocia (parto anormal) ele abrirá mão de manobras obstétricas ou até uma cirurgia de emergência a fim de manter a viabilidade dos fetos e a saúde da mãe.

Os pequenos filhotinhos nasceram, mas e agora? Como cuidar deles até que conquistem sua independência? Eles nasceram prematuros, o que fazer?  Acompanhe o próximo artigo, nele iremos falar sobre os cuidados com os recém-nascidos.

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

659 Visualizações

Veja também:

cadela_gestacao
Especial de Maternidade de animais de estimação: “Vou ser mamãe!”
recem-nascidos
Especial de Maternidade: Cuidados com os recém-nascidos! Parecem mais com o pai ou com a mãe?
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest