Diversas doenças podem acometer e afetar a saúde e a qualidade de vida dos nossos pets, sendo que alguns destes problemas podem não ser tão conhecidos assim pela maioria das pessoas.

Um bom exemplo disso é uma condição que é chamada de megaesôfago, onde o esôfago – tubo digestivo que leva o alimento até o estômago – apresenta-se maior do que seu tamanho normal. Quando isso ocorre, fica muito mais difícil “empurrar” o alimento para o estômago, causando alguns sintomas que vamos conhecer agora. Se você suspeita que seu cãozinho está com megaesôfago, leia essa matéria agora mesmo.

»O MEGAESÔFAGO PODE OCORRER EM CÃES E GATOS?

Sim, embora o megaesôfago seja uma condição muito mais comum em cães, ela também acomete os felinos, porém em uma menor frequência.

»QUAIS SÃO AS CAUSAS DE MEGAESÔFAGO?

O problema pode ter origem congênita, quando o animal já nasce com essa condição, sendo que os sintomas tendem a ser mais notáveis após o desmame ou pode ser um problema adquirido ao longo da vida e, nestes casos, normalmente o megaesôfago está relacionado a outras doenças.

»SINTOMAS DE MEGAESÔFAGO CANINO:

  • Dificuldade para deglutir;
  • Regurgitação (quando o alimento é eliminado sem ser digerido e sem nenhum esforço por parte do animal. Mas atenção para não confundir com vômito, pois no vômito há a presença de contrações e o esforço do animal é visível);
  • Dificuldade para respirar, tosse ou barulho quando o animal respira;
  • Salivação excessiva;
  • Emagrecimento (em decorrência da dificuldade para se alimentar).

Ao notar esses e outros sintomas em seu cão, você deverá encaminhá-la ao Médico Veterinário, que fará os exames necessários, incluindo exames de imagem como o raio-x contrastado ou a endoscopia, por exemplo. Caso o quadro seja confirmado, infelizmente não há nenhum medicamento para essa condição. O Médico Veterinário poderá então optar pela correção cirúrgica ou pelo tratamento paliativo, onde serão necessárias algumas adequações na forma como o animal se alimenta.

Como foi falado no início, em casos de megaesôfago, o alimento têm mais dificuldade para chegar até o estômago por ficar parado no meio desse percurso. Uma maneira eficiente de promover o fluxo adequadamente é posicionando o comedouro e bebedouro do animal mais alto que o chão como, por exemplo, em uma escada. Outra opção é colocar um banquinho para que o pet suba e alcance o comedouro que vai estar na altura de seus olhos. Após se alimentar, o cão deve permanecer nessa posição por aproximadamente 5 minutos, facilitando a descida do alimento por ação da gravidade.

A alimentação do cachorro também deverá ser fracionada em pequenas porções ao dia, para evitar as regurgitações e provavelmente será necessário adaptar o alimento para uma forma mais pastosa ou líquida, facilitando também o trânsito do alimento até o estômago.

Em casos onde o pet continuar a ter regurgitações ou dificuldade para respirar, tosse, barulhos durante sua respiração, ele deverá ser levado ao Médico Veterinário o quanto antes para investigar possíveis complicações, sendo que a mais comum delas é a pneumonia aspirativa, onde o alimento acidentalmente chega às vias aéreas causando dificuldades para respirar.

Você tem um cãozinho com megaesôfago? Conte-nos a sua experiência por aqui. 

E se gostou dessas informações, curta e compartilhe com seus amigos.

 

Larissa Salles Teixeira
CRMV/PR 11718
Cornélio Procópio – PR

Thor - Bicho Amigo | Lupus Alimentos

 

Este é Thor!
Quer ver seu amiguinho aqui também?
Envie a foto dele para o Bicho Amigo!

ACOMPANHE-NOS NO FACEBOOK E INSTAGRAM!

Veja também:

HIPERTIREOIDISMO-site
HIPERTIREOIDISMO EM GATOS
circulos-Site
Meu cachorro fica andando em círculos – isso é normal?
QR Code Business Card