Ter um cão é assumir uma responsabilidade para a vida toda … incluindo os bons e os maus momentos!

 

Os animais, assim como os seres humanos, estão suscetíveis a uma série de doenças e justamente por isso, sempre recomendamos aqui que o pet deve passar por exames regulares com o Médico Veterinário, pois algumas doenças podem surgir de repente, em qualquer fase da vida, enquanto outras são mais comuns à medida que o pet envelhece como, por exemplo, a cegueira.

 

Se você já passou ou está passando por esse problema, você sabe quais são os cuidados que deve ter com um cachorro cego?  

 

 

O CÃOZINHO CEGO PODERÁ TER UMA VIDA NORMAL?

Com certeza, os animais são seres altamente adaptáveis e em primeiro lugar, é preciso entender que essa nova condição não irá interferir de maneira tão significativa na qualidade de vida dele. É possível que o pet consiga viver feliz, continuar brincando, passeando, enfim, levando uma vida normal SIM!

É claro que o cão irá passar por um período de adaptação, mas isso é compreensível, não é mesmo? Com o tempo, os animais se adaptam e fazem isso de uma forma muito natural. Então, se seu cãozinho está cego, não pense em se desfazer dele, pois além de o abandono ser considerado crime, nenhum animalzinho merece isso, não é mesmo? Basta uma dose extra de paciência e a vida irá se adequando aos pouquinhos. Vamos conhecer agora 5 dicas para lidar com um animalzinho deficiente?

 

1. ADAPTAÇÃO DO AMBIENTE

Se seu cãozinho está cego, mas vive em um mesmo ambiente há bastante tempo, evite mudar os móveis de lugar sem necessidade, pois isso facilita para que o cão possa se locomover. Outro ponto importante é ter bastante atenção às quinas de móveis, objetos que podem se quebrar, objetos pontiagudos, piscinas descobertas e escadas.

No caso de piscinas, lembre-se sempre de deixa-las cobertas ou então restringir o acesso do pet, pois ele poderá cair e se afogar sem que ninguém esteja por perto. Com as escadas, vale a mesma dica: restrinja o acesso, de preferência, com portõezinhos. Isso evita que o pet acidentalmente caia e se machuque.

 

 

2. ACOMPANHAMENTO DO VETERINÁRIO

Isso vale para qualquer doença. O pet sempre precisa ser acompanhado pelo Veterinário, principalmente nos casos dos animais que estão perdendo a visão aos poucos, pois com a medicação e o tratamento correto, em alguns casos, é possível retardar a evolução da cegueira.

 

 

3. AMOR E MUITA PACIÊNCIA

O animalzinho deficiente precisará de muita paciência por parte de seu tutor. Lembre-se que ele também está se adaptando e no começo será difícil para todos.

 

 

4. AUTOCONFIANÇA

É importante transmitir confiança para que o pet se sinta seguro em realizar suas atividades. Estimule as brincadeiras, o contato com outros animais, mas sob sua supervisão até ele que ele se acostume.

 

 

5. HORA DO PASSEIO

Utilize guias curtas para ter maior controle do pet. Assim você evita acidentes e consegue transpor melhor os obstáculos junto ao pet.
 

»DICA: cuidado com as pessoas que se aproximam e ele não reconhece. Evite aproximações bruscas, pois o pet pode morder na tentativa de se defender do “desconhecido”.

Viu só como apenas com algumas dicas é possível viver bem com um cãozinho deficiente? Gostou dessa matéria? Então fique de olho, porque semana que vem tem mais!
 

E se você tem alguma ideia ou tema que gostaria de ver retratado aqui,
deixe um comentário em nossa página no facebook.

Larissa Salles Teixeira
CRMV/PR 11718
Cornélio Procópio – PR

Baby - Bicho Amigo

Esta aqui é Baby!
Quer ver seu amiguinho aqui também?
Envie a foto dele para o Bicho Amigo!

269931 Visualizações
( 9 )

Veja também:

Meu-cachorro-está-arrastando-as-patas-traseiras-(LupusAlimentos)
Meu pet está arrastando as patas traseiras – o que pode ser?
MausTratos-MundoPet-(LupusAlimentos)
Maus-tratos aos animais: o que fazer e como denunciar?
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest