Se você, alguma vez, já viu um ouriço na sua vida, sabe bem que este bichinho todo engraçado e curioso pode ser um terror na vida dos cães. Você se arriscaria a mexer com ele? Eu acho que não. Mas o seu querido cachorrinho todo valente e curioso tende a meter o focinho onde não foi chamado. E aí, o que acontece? Aí que nós veterinários estamos até acostumados a receber, com certa frequência, esses cãezinhos cheios de espinhos no rosto e pescoço com aquela cara de “quem fez o que não devia”, sabe como é, né?

Os ouriços são mamíferos que gostam de viver em árvores e estão presentes em zonas rurais e áreas de mata, eles costumam sair à noite de seus esconderijos em busca de alimento. Por isso é muito comum que os donos de animais que vivem em sítios, fazendas ou próximos de muita vegetação, vez ou outra, sejam surpreendidos com este tipo de acidente.

A história no consultório, normalmente é sempre a mesma: o cão saiu à noite e quando voltou, estava assim todo “espetado” (Ai, coitadinho!). A verdade é que os ouriços durante a noite saem para buscar alimentos próximos às casas, e o seu cão acaba não resistindo ao avistar este intruso no quintal. O pobre animal tenta se defender do ataque e estes espinhos penetram na pele no animal. Funciona como um sistema de defesa, uma “armadura” contra possíveis ataques.

O cãozinho volta para casa todo arrependido, às vezes com sangramento e muita dor. Aí o dono se desespera ao ver esta cena sem saber o que fazer. Nesta situação, deve-se levar o animal até o veterinário. Lá ele irá tranquilizar o cão (se preciso irá sedar), porque afinal isso dói, né. Então inicia a retirada com pinça de todos estes espinhos, um por um, e olha que são muitos, podendo chegar a ter mais de 200. Feito isso, o veterinário fará limpeza e curativo, e se for preciso pode indicar até o uso de antibióticos e anti-inflamatório. Esta retirada tem que ser feita com muito cuidado e não deve ser realizada com o animal acordado ou agitado, porque senão o espinho pode quebrar e ficar uma parte inserida na pele do animal, predispondo às infecções, inflamações.

O melhor mesmo é não tentar tirar em casa, mas se não houver outra solução, tome muito cuidado e use um alicate. Segure firmemente o espinho e puxe de uma única vez, cuidando para não quebrar e ficar preso na pele do animal. Após a retirada, ocorrerão sangramentos, mas nada de grave, basta pressionar com um pano limpo por alguns minutos.

Depois de toda essa confusão chegar ao fim, alguns cães aprendem a lição e nunca mais querem passar perto de ouriços. Outros não são tão sábios assim … e adivinhem? Acabam se metendo em enrascadas mais uma vez. Neste caso, o ideal seria prender os animais durante a noite ou utilizar telas, cercas em áreas rurais.

Atenção, Srs. Tutores: fiquem de olho em seus cães de guarda.

Você já teve um cãozinho atacado por um ouriço?

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

2801 Visualizações

Veja também:

Meu-gato-mordeu-um-morcego_site
Meu gato mordeu um morcego
Quanto-tempo-vive-um-gato_site
Quanto tempo vive um gato?
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest