Dirofilariose
Um nome talvez não tão comum em algumas regiões do país, enquanto que em outras talvez seja uma “velha conhecida” dos proprietários, principalmente das pessoas que moram em regiões litorâneas. Nas regiões praianas, a dirofilariose ocorre com maior frequência, devido à grande presença de mosquitos vetores da doença, o Aedes (é, da mesma família do mosquito da Dengue) e o Culex.

A dirofilariose é uma doença causada por um verme redondo, a Dirofilaria immitis. Mas ao contrário de outros vermes já conhecidos, a Dirofilaria não habita o intestino como é de costume. Mas como assim?

Eu explico, este verme gosta de morar no coração (mas isso não é nada romântico) e também nos vasos pulmonares e, portanto, a doença é mais conhecida como “Verme do coração”.

Através da picada, o mosquito infectado passa para um cão ou gato sadio, transmite as larvas que irão se desenvolver no animal e causar a doença. A presença dos vermes nas artérias dificulta o bombeamento de sangue para o resto do corpo, que consequentemente, terá que fazer mais força para bombear sangue. Com o passar do tempo e a presença de diversos parasitas dentro do coração, a consequência é seríssima: uma insuficiência cardíaca e o óbito do animal.

Mas como saber se o cão está ou não está infectado? Quais os sinais que eu devo observar? Primeiramente, devido ao local onde esse verme gosta de “morar”, ele causa sinais como:

Estes sinais podem ser sinais também da insuficiência cardíaca, causada por vermes ou não. Mas há também a possibilidade, principalmente, em fases iniciais da doença, de que o animal não manifeste nenhum sintoma de início, por isso a importância de realizar check up regularmente, visitar o veterinário com certa frequência, ao menos uma ou duas vezes por ano, realizando todos os cuidados indicados por ele.

Para o diagnóstico da doença após a suspeita clínica, o Veterinário poderá lhe solicitar alguns exames para ter certeza da parasitose. Após isso, inicia-se a fase de tratamento, que apesar de ser possível, carrega uma série de possíveis complicações, –Medicamentos para matar os vermes (Vermífugos específicos) poderiam e são eficientes, mas o problema é que durante a morte dos parasitas eles podem liberar toxinas e causar reações inflamatórias graves no pet. A complicação pode ser maior ainda dependendo diretamente da gravidade da infestação, ou seja, quanto mais parasitas, pior.

Como controle da doença e prevenção, existem no mercado coleiras que são repelentes à picada do mosquito e também produtos vermicidas com composições próprias para dirofilariose que tem o intuito de quebrar o ciclo caso o animal já tenha sido infectado, impedindo desta forma que as larvas se transformem em parasitas adultos e causem maiores problemas ao animal.

Para as pessoas que moram em região litorânea, além de ter cuidado com os vermes habituais do sistema gastrointestinal, há que se ter muito cuidado e atenção também com o verme do coração. Fique de olho e fale com o veterinário de sua confiança.

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

11629 Visualizações
( 3 )

Veja também:

Raiva-em-cães-e-gatos_site
Raiva em cães e gatos
Jack Russell Terrier Dog Enjoying a Car Ride.
7 Dicas para passear com seu filhote no carro. A 1ª é muito importante!
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest