Seu gatinho anda espirrando, com os olhos vermelhos e cheios de secreção? Ele está com secreção nasal e com dificuldade para respirar? Você reparou que ele anda muito quietinho e não quer brincar ou comer? Sabia que estes podem ser sintomas de algo muito semelhante à gripe?

O fato é que os gatos podem sofrer com uma ou mais doenças associadas, que causam todos estes sintomas acima. E o resultado? O bichano fica realmente parecendo que está gripado, com aquela carinha de “dodói”.

Tratam-se de vírus diferentes da Influenza (causador da gripe verdadeira), mas que também atacam o sistema respiratório. São as chamadas Rinotraqueíte e Calicivirose Felina ou também conhecido como Complexo Respiratório Felino.

Estima-se que de cada 10 gatos com problemas respiratórios, 9 estejam infectados com estes vírus. Principalmente os animais de rua, onde a transmissão é muito mais fácil. Apesar da mortalidade ser pequena, com maior importância apenas em filhotes, são doenças altamente transmissíveis entre gatos.

Pelas características do próprio vírus, uma vez infectado, o animal torna-se portador por toda a vida, e em situações de estresse e baixa imunidade, o vírus sofre uma reativação e desencadeia os sinais novamente. Isso ocorre por toda vida, mas sem muita gravidade, na maioria das vezes. Igualzinho ao vírus causador de herpes (mais conhecido como “sapinho” em humanos), afinal são vírus pertencentes à mesma família.

Após um estímulo (fator estressante), os sintomas surgem em 4 a 7 dias depois, permanecendo por até duas a três semanas. Os sintomas podem incluir sensibilidade a luz (o gatinho fica de olhos fechados ou quase fechados), tosse, espirro, secreção nasal ou ocular, falta de apetite, conjuntivite, febre e depressão.

Após início dos sintomas, o veterinário poderá prescrever medicamentos de suporte, com intuito de melhorar os sintomas. Afinal, a gente sabe que os sintomas de gripe são muito ruins e isso acontece também com os bichanos.

A melhor forma de prevenir é através da vacinação quando o animal ainda é jovem, a partir dos 2 meses de idade, de acordo com orientação do veterinário.

Apesar de não ser tão difundida, a vacinação de gatos é tão importante quanto a vacinação de cães. Se tiver dúvidas, consulte o veterinário e não se esqueça: se você ama o seu bichano, vacine, cuide, mantenha-o saudável.

Gostou dessa matéria? Fique de olho que na semana que vem tem mais.

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

1231 Visualizações
( 1 )

Veja também:

A-placenta-da-cadela-não-saiu-–-é-normal_site
A placenta da cadela não saiu – é normal?
396_site
Como preparar um lar mais confortável e seguro para seu pet
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest