Em muitos casos, a piodermite pode se tornar recidivante e ocorrer com muita frequência no mesmo animal.

Uma ferida ali, um prurido aqui e a infecção aparece, assim são as piodermites, uma das doenças de pele mais comuns encontradas na Clínica Veterinária. São inflamações da pele, comumente, com infecção por bactérias e produção de pus, tendo uma variabilidade enorme de apresentação clínica, as piodermites, podem, muitas vezes, serem diagnosticadas incorretamente.

A principal bactéria encontrada é o Sthaphylococcus spp., produtora de mediadores que são os responsáveis por causarem a inflamação, tanto em cães, como em gatos, acometendo a pele de uma maneira mais superficial ou profunda e localizada ou generalizada, dependendo da camada que foi atingida e da localização das lesões.

Muito se questiona com relação à transmissão, os proprietários se perguntam como o animal se contaminou. Mas o fato é que estas bactérias causadoras da piodermite, geralmente, são habitantes naturais da pele e numa situação de oportunismo, elas se proliferam quando a barreira epidérmica se torna mais frágil por algum motivo.

Com relação aos sinais clínicos, à princípio surgem pústulas (feridas com pus) amareladas e muita coceira. Conforme a doença vai evoluindo, o animal pode apresentar certas falhas de pelo, devido à queda, crostas e a pele se tornar mais avermelhada. Estas manifestações podem ocorrer em qualquer parte do corpo, mas a mais afetada é o tronco.

O diagnóstico não pode ser feito apenas com base no exame clínico, pois as patologias da pele, têm sinais muito parecidos. Desta maneira, são necessários exames complementares, como raspado de pele, cultura de fungos e bactérias, biópsia, lâmpada de Wood, dentre outros.

O tratamento inclui antibióticos sistêmicos e/ou tópicos, xampus ou loções antissépticas, medicamento antipruriginosos (para a coceira) e anti-inflamatórios.

Em muitos casos, a piodermite pode se tornar recidivante e ocorrer com muita frequência no mesmo animal. Quando isto ocorre, é necessária uma maior investigação para descobrir qual a causa que está predispondo o animal a ter essas recaídas.

Se perceber que o seu animal está se coçando mais, que apareceu uma ou outra ferida, descamação, crostas ou outros sinais semelhantes, consulte o Médico Veterinário, pois independente da doença, o tratamento sempre será mais eficaz se o problema for identificado rapidamente.

 

 

Larissa Salles Teixeira

CRMV/PR 11718

Cornélio Procópio – PR

889 Visualizações

Veja também:

Otohematoma
Inchaço na orelha? Pode ser Otohematoma
mae-especie
Mãe é mãe em qualquer espécie
QR Code Business Card

Pin It on Pinterest